Encontro de gerações entre o bispo mais idoso e o mais jovem na 55ª Assembleia Geral

“O desprezo da ética leva a uma relação promíscua entre interesses públicos e privados, razão primeira dos escândalos da corrupção”. Diz a CNBB
5 de Maio de 2017
CNBB cria comissão especial para cuidar dos patrimônios culturais da Igreja no Brasil
5 de Maio de 2017

53 anos. Esta é a diferença de idade entre o dom José Maria Pires, 98 anos, bispo emérito da Paraíba (PB) e dom Geovane Luís da Silva, 45 anos, bispo auxiliar de Belo Horizonte (MG). Em um encontro de gerações entre o mais idoso e o mais jovem bispo da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil presentes na 55ª Assembleia Geral eles se saúdam e se acolhem, apontando os desafios de ser bispo na Igreja no Brasil.

Dom José Maria, cuja ordenação episcopal foi em 22 de setembro de 1957, acolhe dom Geovane Luís e todos novos bispos, desafiando-os a ser não os bispos que mandam, mas os que orientam e caminham junto ao povo. Segundo o mais idoso bispo emérito presente na 55ª Assembleia Geral, a Igreja e os bispos não podem estar separados do mundo. “É necessário caminhar e sofrer as dores do povo”, disse.

A primeira palavra do bispo auxiliar de Belo Horizonte, ordenado 25 de março de 2017, aos bispos eméritos do Brasil é de gratidão. “Muita gratidão aos irmãos bispos eméritos que nos precederam no anúncio da Boa Nova e na formação de comunidades cristãs”.

Estes, para o dom Geovane, ainda hoje mantém acesa no coração a chama da esperança e oferecem à Igreja o testemunho da fé e do amor aos mais sofridos. “Eles são fragmentos vivos do Evangelho”, disse o mais novo pastor.

Natural de Córregos (MG), dom José Maria foi ordenado padre em 20 de dezembro de 1941, em Diamantina (MG). Como bispo, foi presidente da Comissão Episcopal do Nordeste 2. Entre outros, é autor do livro “Do Centro para a Margem”, da editora Vozes, entre outros.

Dom Geovane Luis nasceu em Barbacena (MG), em 21 de junho de 1971. Entre outras funções, foi pároco da paróquia e Santuário de Nossa Senhora da Piedade, nesta mesma cidade, professor de Teologia Sacramental, formador no seminário São José em Mariana (MG). Também participou da comissão do processo de beatificação de dom Antônio Ferreira Viçoso, Isabel Cristina Campos e de dom Luciano Mendes de Almeida.

Foto: Maurício Sant’ana

Fonte: cnbb.net.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *