Tem início o primeiro dia de reunião ampliada do 14º Intereclesial

Festa de Santo Reis: tempo de romper o isolamento e celebrar a amizade, o encontro e a fé
5 de janeiro de 2018
14º Intereclesial das CEBs– 13 temas que desafiam a vida urbana.
22 de janeiro de 2018

A diversidade cultural e o momento político do Brasil foram assuntos do primeiro dia de reunião da equipe ampliada nacional das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs), ocorrida ontem (21) na Casa de Retiro Emaús, Setor Esperança, em Londrina (PR). O encontro continua nesta segunda. A ampliada se reúne uma vez por ano e se concentra na preparação e avaliação dos Intereclesiais, além da articulação das CEBs no país.

Na pauta também foram discutidas estrutura, programação, recursos e as temáticas do 14º Intereclesial das CEBs a serem realizadas na cidade paranaense entre os dias 23 (terça) e 27 (sábado). A metodologia do evento vai se concentrar em grandes e miniplenárias, filas do povo e grupos de trabalho. A intenção é refletir o tema geral, focado nos desafios das CEBs no mundo urbano, e as suas temáticas, entre elas a violência, o direito à comunicação, a moradia, a mobilidade, o ecumenismo e a ecologia.

Novidade e momento histórico

Na reunião da ampliada nacional, cerca de 50 coordenadores regionais, assessores e representantes da Articulação Intercontinental das CEBs e do secretariado que organiza o Intereclesial fizeram um raio-x do processo de construção do Intereclesial, iniciado há quatro anos. Nas discussões, atenção especial a uma novidade e ao momento histórico.

O novo fica por conta da exposição cultural dos artistas da caminhada das CEBs, com suas músicas, poemas, cordéis, livros, repentes, entre outros. A atividade vai ocorrer na sexta-feira (26) das 14h às 15h30. Os artistas vão apresentar e comentar seus materiais, geralmente voltados à cultura regional popular e à leitura crítica da realidade.

“A nossa ideia foi trazer a multiculturalidade presente nas pequenas comunidades. Na noite cultural, a ideia é vivenciar a produção cultural, pelas danças e cantos, mas na exposição haverá momentos de fala para conhecemos melhor as expressões artísticas”. A explicação foi dada por Gabrielle Caroline Furtado, de 26 anos, que integra a equipe de Cultura do Intereclesial e assessora da Pastoral da Juventude (PJ) em Londrina.

Ela informou que vai haver apresentações culturais em outros momentos do evento, como batida de tambores, folia de reis e orquestra de sanfona. Gabrielle cursa Serviço Social e atua como pastoralista num centro social para jovens na cidade paranaense.

Antenado ao momento histórico, o padre José Ferrari Marins, que há 50 anos viaja pelo mundo difundindo o espírito transformador do Concílio Vaticano II, afirmou que o Intereclesial será realizado enquanto o país corre o risco de um rompimento da democracia. “É evidente que houve um golpe no Brasil, que o país piorou a situação e que o povo espera eleições para tentar enfrentar os problemas”, comentou.

Marins, de 85 anos, também alertou para as forças conservadores que tentam desestabilizar Francisco, que faz um papado voltado às questões cotidianas do povo e coloca a Igreja em missão, voltado principalmente aos descartados da sociedade. “Essa mentalidade tem guarida em muitos seminários religiosos, cuja formação está baseada num espírito do tempo bastante individualista”, explicou.

 Por Gibran Luis Lachowski

Fotos: Ana Paula Carnahiba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *